Tânia Oleiro

Tânia Oleiro

VS Management

Agenciada por

Dyam

Tânia Oleiro tem um lema: “o caminho faz-se caminhando” e foi sempre sem pressas que marcou presença assídua nas casas de Fado mais conceituadas de Lisboa e nos palcos que foi pisando.

Tânia Oleiro tem um lema: “o caminho faz-se caminhando” e foi sempre sem pressas que marcou presença assídua nas casas de Fado mais conceituadas de Lisboa e nos palcos que foi pisando.

Agenciada por

Dyam

Nascida em Lisboa, tem o Fado como berço, por condição. Da infância recorda-o cantado pela sua mãe e foi por esses dias que nasceu a sua grande paixão. Ao longo dos anos, foi-se dividindo entre o ensino e o fado, mas, desde cedo que é convidada para cantar ao lado de nomes consagrados, quer em Portugal quer no estrangeiro.

Tem vindo a fazer parte de vários projetos que a apontam como uma das mais brilhantes fadistas da nova geração. Exemplos disso, em 2009, foi uma das convidadas do trabalho discográfico ”Em’cantado” de Rão Kyao, ao lado de um grupo de excelentes fadistas (Ana Sofia Varela, Camané, Carminho, Manuela Cavaco e Ricardo Ribeiro) que interpretam temas ligados ao fado. Entre as diversas apresentações de Rão Kyao e Tânia Oleiro, destacam-se os concertos no CCB em Lisboa e no Festival Ibérico em Sanlúcar. Em 2013, integrou o projeto “Urbanas – Live in studio”, do músico e produtor Diogo Clemente.

Em 2016, depois de no ano anterior a Fundação Amália Rodrigues a ter distinguido como uma promissora voz do fado, convidando-a para a abertura da X Gala Amália Rodrigues, entregou-se de alma e coração à gravação do seu primeiro disco ‘Terços de Fado’, numa aposta conjunta com a editora do Museu do Fado.

Tem um lema, “o caminho faz-se caminhando” e foi sempre sem pressas que marcou presença assídua nas casas de Fado mais conceituadas de Lisboa e nos palcos que foi pisando.

Este disco, reflete o seu percurso, traçado com solidez e dedicação aos saberes tradicionais e à vasta riqueza do espólio do fado. Nele, assume a sua experiência que carrega o enriquecimento da partilha com vários músicos, fadistas e autores. O seu disco traduz a sua forma de estar, na vida e no Fado.

A forma com é dividido, é uma viagem em três partes, à história do Fado em Alfama, na Mouraria e na tradição de outros bairros e outras gentes (Cercanias) que amam e perpetuam o fado.

Nas suas escolhas fica bem patente a elegância que transporta para o palco, uma singeleza de atitude e de saber que estar que deixa incrédulo quem a ouve. O seu poder interpretativo leva a que pareça sempre, que a estamos a ouvir pela primeira vez!

2017 traz-lhe a confirmação que já sentia há muito, o palco é o seu lugar de conforto. O seu “Terços de Fado” andou por palcos tão distintos como o “Viva Música” da Antena 1, Caixa Alfama e Festa do Avante, entre muitos outros.

Em 2018 o disco “Terços de Fado” da Tânia Oleiro, ganha um novo fôlego quando em março, com o apoio do “Público” lança o videoclip “Nova Rosa da Mouraria” e faz um showcase em direto para as redes sociais, na redação do jornal, apresenta-se no Museu de Lisboa, Santa Casa Alfama e faz uma digressão de vários concertos nos EUA.
Tânia leiro assume-se, definitivamente, como uma das melhores fadistas do panorama nacional.

2019 começa com uma tour de 12 concertos na Austria e Alemanha e com a preparação do proximo disco.

Tânia Oleiro
Reproduzir vídeo
Reproduzir vídeo
Tânia Oleiro
Reproduzir vídeo
Tânia Oleiro
Reproduzir vídeo
Tânia Oleiro
Reproduzir vídeo
Reproduzir vídeo
Tânia Oleiro
Reproduzir vídeo
Tânia Oleiro
Reproduzir vídeo

Tânia Oleiro